sábado, 5 de março de 2016

GIBIS ANTIGOS (CLASSIC COMICS) - CEBOLINHA Nº 01 (CEBOLLITA / JIMMI LIMA / CIPOLLINO / JIMMY FIVE) - EDIÇÃO ORIGINAL / 1973 EDITORA ABRIL (MONICA'S GANG / MONICA AND FRIENDS / LA BANDA DI MONICA / MONIKA DAN KAWAN KAWAN / MÓNICA Y SU PANDILLA / MÓNICA Y SU AMIGOS)


CEBOLINHA Nº 01 (EDIÇÃO ORIGINAL) - 1973 EDITORA ABRIL / Somente após 3 anos da edição nº 1 de Mônica chegar às bancas de jornais e revistas, Cebolinha acabou sendo premiado com sua própria revistinha de 68 páginas coloridas. Através das conhecidas tirinhas de jornal de Mauricio de Sousa, Cebolinha apareceu pela primeira vez em outubro de 1960, como personagem secundário nas tiras diárias em preto e branco de "Bidu e Franjinha", publicadas no jornal Folha da Manhã (atual Folha de S.Paulo), foi publicado pela Editora Continental na revista do Bidu. Logo em seguida, na revista Záz Tráz, da editora Continental, e também na capa do almanaque da revista, e isso tudo, na mesma época. O personagem foi baseado em Luiz, amigo de Márcio (irmão de Mauricio) e morador da cidade de Mogi das Cruzes. Ele também trocava o "r" pelo "l" e tinha o cabelo espetado, sendo apelidado pelo pai de Márcio como "cebolinha". Nas histórinhas, Cebolinha tem oito anos e vive no bairro paulistano do Limoeiro. Essas primeiras tiras até então circulavam basicamente em São Paulo. Mas quando ganharam sua versão em revista, passaram a ser conhecidas em outros estados. E o próprio Cebolinha foi crescendo em popularidade, desbancando os “titulares” Bidu e Franjinha. O personagem acabou se tornando, a figura principal da história. E logo foi ganhando seus próprios coadjuvantes. Floquinho, seu estranho cachorro verde de raça “Lhasa Apso”, foi um deles. No dia 21 de março de 1963, contracenando com Cebolinha, surgiu a menina Mônica e seu coelho de pelúcia. E aquela garotinha feia, baixinha e dentuça acabaria, por sua vez, desbancando o próprio Cebolinha, tornando-se o carro-chefe de uma galeria de personagens simpáticos e carismáticos. Em 1963 ainda, Cebolinha era também, o principal personagem de Mauricio. E no dia 8 de setembro daquele ano, o popular menino dos cabelos espetados ganhou a versão em cores, na edição nº 01 do suplemento “Folhinha de S. Paulo” (tenho várias guardadas comigo e encadernadas). 















F  I  M