terça-feira, 11 de junho de 2019

GIBIS ANTIGOS (CLASSIC COMICS) - ALMANAQUE DE PAPAI NOEL 1957 TOM & JERRY - 1956 EDITORA BRASIL-AMÉRICA (EBAL)


ALMANAQUE DE PAPAI NOEL PARA 1957 COM TOM & JERRY / Espetacular almanaque publicado no final do ano de 1956 pela Editora Brasil-América (EBAL) com 100 páginas trazendo clássicos personagens que já tínhamos o hábito de acompanhar na Tv,porém com outros nomes. foram publicados um total de 22 almanaques pela editora, à partir de 1951, mas sem uma fidelidade periódica anual, ou em alguns casos, dois almanaques no mesmo ano, porém de capas diferentes (com Tom & Jerry / Papai Noel). ACERVO PESSOAL DE COLEÇÃO. AQUI VC ACOMPANHA TODAS AS PRIMEIRAS PÁGINAS DAS HISTÓRIAS PUBLICADAS NA EDIÇÃO!
















F  I  M

ÁLBUM DE FIGURINHAS ANTIGOS (STICKER ALBUM / LIVRO ILUSTRADO / FIGURILLAS ALBUM / BUBBLE GUM / ALBUM CROMOS / АЛЬБОМ фигурок / АЛЬБОМ стикеров / ALBUM-Figuren / ALBUM AUFKLEBER) - A CONQUISTA DO ESPAÇO - 1969 EDITORA ABRIL (WALT DISNEY - BRAZIL)


ÁLBUM DE FIGURINHAS - A CONQUISTA DO ESPAÇO / SUPLEMENTO ESPECIAL DA REVISTA MICKEY Nº 196 DE 1969 - VEJA CAPA DE MICKEY NA ÚLTIMA FOTO. TOTAL DE 72 FIGURINHAS. - Na década de 60 e inicio dos anos 70, era comum em algumas publicações da editora Abril, principalmente nos títulos Disney, o acompanhamento de álbuns de figurinhas de temas variados, para colecionar. Para completar, bastava comprar uma publicação específica de Tio Patinhas, Mickey, e alguns almanaques, onde gratuitamente, as figurinhas eram parte integrante da edição.









F  I  M

GIBIS ANTIGOS (CLASSIC COMICS) - MANDA-CHUVA (TOP-CAT) Nº 12 ANO V - 1968 EMPRESA GRÁFICA O CRUZEIRO / HANNA-BARBERA


MANDA-CHUVA (TOP-CAT) Nº 12 ANO V - 1968 EMPRESA GRÁFICA O CRUZEIRO - Primeira editora no Brasil a publicar periodicamente os personagens do estúdio Hanna-Barbera, a editora O Cruzeiro lançou um total de 67 edições dessa turma de gatos que tem como líder, o Manda-Chuva, um gato malandro, porém cativante e de coração bom. Entre 1964 e 1971, em edições bimestrais primeiramente, até nov / dez de 1967, para posteriormente publicar edições mensais até o encerramento final pela editora em junho de 1971. Edições em cores no formato americano, de 36 páginas coloridas, seguindo a linha das duas maiores editoras americanas a publicarem o respectivo estúdio HB, a Dell Comics e Gold Key Comics, em sua maior e melhor época de lançamentos de séries da televisão e desenhos de estúdios famosos, entre a década de 60 e 70. Abaixo, você irá visualizar além da capa, as primeiras páginas de todas as histórias publicadas neste exemplar.








F  I M

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

GIBIS ANTIGOS (CLASSIC COMICS) - COLEÇÃO TELE COLOR Nº 03 TROQUELADOS - BOBI PAI E BOBI FILHO (AUGIE DOGGIE AND DOGGIE DADDY) - 1963 EDITORA BRUGUERA (EDITORIAL BRUGUERA - ESPAÑA / BARCELONA - HANNA-BARBERA


COLEÇÃO TELE COLOR Nº 03 TROQUELADOS - BOBI PAI E BOBI FILHO (AUGIE DOGGIE AND DOGGIE DADDY) - 1963 EDITORA BRUGUERA / HANNA-BARBERA - Uma coleção da editora espanhola Bruguera com sede em Barcelona, e que no Brasil também obteve relativo sucesso com publicações infanto-juvenis, clássicos da literatura infantil e de personagens dos desenhos animados da televisão que se popularizaram através da editora. Fundada em 1910 por Juan Bruguera Teixidó, inicialmente denominada de "El Gato Negro", o grande salto foi em 1921 com a criação de "Pulgarcito", em formato tablóide, apresentando diversos personagens que curiosamente ficaram restritos à Espanha, e posteriormente nos formatos tradicionais também, foram publicados. Após a morte de seu fundador em 1933, seus filhos  Pantaleón e Francisco Bruguera Grane assumiram a empresa, e em 1939 decidem modificar o nome de "El Gato Negro" para Editorial Bruguera. Até o inicio dos anos 80 algumas publicações ainda tinham sua periodicidade, mas a editora entrou com pedido de falência em 7 de junho de 1982. Em 1986, foi adquirida pelo Grupo Z e transformada em Ediciones B (isso na Espanha). No Brasil, a Bruguera teve sua filial, que logo depois também mudou de nome para “Cedibra”, sendo copropriedade da “Editorial Ibis” e “Livraria Bertrand”. Voltando a Coleção Tele-Color Troquelados, e especificamente nos anos 60, a Bruguera chegou a publicar personagens do estúdio Hanna-Barbera, bem como personagens de outros estúdios em paralelo à Empresa Gráfica O Cruzeiro / Editora O Cruzeiro que era a atual detentora dos direitos de publicações dos títulos americanos de Hanna-Barbera publicados pelas duas maiores editoras americanas na época, a Dell Comics e Gold Key Comics. A coleção Tele-color / Troquelados consiste em uma publicação de 20 cm x 14,5 cm, de 12 páginas somente, com historinhas curtas e bem infantis, de texto simples, e ilustrações grandes com os personagens em várias situações. O diferencial dessa publicação, era o tipo de recorte que havia em toda extensão da lateral direita e parte superior, de forma arredondada, fazendo lembrar de uma sequência de montanhas. A coleção ainda teve o "Minitroquelados", e o "Super Troquelados". Abaixo, você terá uma idéia do livrinho, ou se for da época, irá se recordar dos bons tempos de sua infância e juventude! CURIOSIDADE: O título do desenho aqui neste exemplar, aparece como Bobi Pai e Bobi Filho, quando deveria ser Bibo Pai e Bobi Filho.




F  I M

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

REVISTAS ANTIGAS (OLD / CLASSIC MAGAZINES) - INTERVALO (INTERVAL MAGAZINE) Nº 0 / EDIÇÃO PREMIÉRE - 1963 EDITORA ABRIL (CHICO ANÍSIO / ZÉLIA HOFFMAN / CLASSIC TV SHOWS)


REVISTA INTERVALO (INTERVAL MAGAZINE) Nº 0 / EDIÇÃO PREMIÉRE - 1963 EDITORA ABRIL (CHICO ANÍSIO / ZÉLIA HOFFMAN / CLASSIC TV SHOWS) - Mais uma postagem de um exemplar da Revista InTerValo, uma das primeiras publicações especializadas em temas relacionados à televisão brasileira e mundial. Esta edição nº 0, é a "avant-premiére" que a editora Abril presentearia os leitores nos anos a seguir, e de todas as semanas. A edição postada aqui, mostra em suas 68 páginas, tudo que a revistinha traria de novidade na grade de programação da televisão brasileira, enfim, uma revista pequena mas completa em seu conteúdo. A Editora Abril em 1963, quando lançou a edição nº 1 da Revista InTerValo, com a cantora Morgana na capa, já havia projetado em sua meta,  garantia de sucesso absoluto sem precisar estabelecer ou direcionar um ou outro gênero somente, pois a televisão já era fato, e as transmissões com sua programação de cada canal durante o inicio da hora do almoço até à noite, era um assunto interessante e curioso para a população que estava começando a adquirir um aparelho televisor (assim era a denominação na época), pois ninguém queria ficar para trás daqueles que já possuíam esse objeto de desejo, embora de valor muito alto para os padrões da época. InTerValo veio preencher essa necessidade aliada a curiosidade de saber os dias e horários de seus programas e seriados do seu canal preferido, as fofocas das novelas, da Jovem Guarda, do lançamento de séries e desenhos na grade de programação, shows de auditório, os discos (LP's), letras das principais canções de sucesso no país  da semana, e compactos com os sucessos do momento, os campeões de vendas, críticas de programas e shows, enfim, tudo relacionado à televisão, numa única publicação. Após o inicio de adaptação e vendas da revista, ao longo dos anos, a editora Abril teve a idéia de também publicar num mesmo exemplar, a grade de programação de outras cidades de estados brasileiros, como Salvador, Belo Horizonte, Curitiba, Recife, Porto Alegre, além de São Paulo e Rio de Janeiro. Vale deixar o registro de que a Revista InTerValo até 1972, em seus quase 10 anos de existência, foi referência para muitos leitores, e profissionais da área de comunicação, servindo de guia e comentários para as emissoras de rádio no país. InTerValo foi perdendo espaço com o surgimento de outras publicações maiores "Amiga, Fatos e fotos, Cartaz, etc"...e não conseguiu acompanhar a quantidade de títulos e a guerra do mercado editorial cada vez mais competitivo.















F  I  M