domingo, 29 de maio de 2016

GIBIS ANTIGOS (CLASSIC COMICS) - O HOMEM-ARANHA (THE AMAZING SPIDER-MAN) Nº 18 (1ª SÉRIE) - 1970 EBAL


O HOMEM-ARANHA (THE AMAZING SPIDER-MAN) Nº 18 (1ª SÉRIE) - 1970 EBAL / Um clássico da Marvel Comics, o cabeça-de-teia é um dos mais importantes e populares super-heróis das histórias em quadrinhos, séries animadas, filmes e outras formas de mídia. Suas revistas estão entre as mais vendidas do gênero no mundo há décadas. É a identidade secreta de Peter Parker. Foi criado por um dos mais bem-sucedido criadores moderno de histórias em quadrinhos, Stan Lee e por seu grande parceiro, Steve Ditko. Até muito antes da publicação de Homem-Aranha no meio da década de 60, os heróis seguiam um padrão mais ou menos uniforme de rigidez moral e retidão, tanto em suas vidas normais quanto quando travestidos em seus alter-egos. Além disso foi o primeiro herói a ganhar dinheiro com o uso de seus poderes: Peter Parker vende fotos do Homem-Aranha para o Clarim Diário. Seus motivos, porém, são de um moço bom com idéias e valores de uma época em que se valorizava a educação, valores morais para formação de um bom caráter: ele ajuda a tia viúva e idosa a pagar as contas, principalmente o aluguel. É, portanto, um dos super-heróis mais humanizados das histórias em quadrinhos, o que o levou a um sucesso estrondoso e a uma competição direta de popularidade com ícones do nível de Superman e Batman. Podemos afirmar com certeza, de que o Homem-Aranha é um dos personagens mais icônicos da Marvel. Em cinco décadas, Peter Parker ganhou e perdeu poderes, passou de estudante a professor, mudou de identidade, trocou de uniforme, sofreu grandes perdas, casou-se, teve sua vida modificada por uma entidade mágica, morreu e voltou a viver. A primeira aparição do Homem-Aranha no Brasil, foi através da própria Ebal, no ÁLBUM GIGANTE Nº 11 (4ª SÉRIE) APRESENTANDO AS HISTÓRIAS DE "O PODEROSO THOR", na edição de agosto de 1968 (veja foto abaixo) e com a mesma história apresentada na edição de capa postada acima. 



Pela Editora Brasil-América (EBAL), foram 70 edições de abril de 1969 à janeiro de 1975, especial em cores de janeiro de 1974 à janeiro de 1975 em 8 edições coloridas, e 4 almanaques anuais de 1971 à 1974, além de 3 edições especiais entre agosto de 1982 e maio de 1983, com roteiros baseados na série de Tv entre 1977 / 79 com 14 episódios se levar em consideração, o longa metragem que deu origem a série, com Nicholas Hammond no papel de Peter Parker e Homem-Aranha. Pela Bloch Editores, ou Editora BLOCH, o herói foi publicado entre 1975 e 1979, que após vários anos de publicação pela EBAL, o título do Aranha passou a ser publicado desta vez em formatinho 13,5 cm x 20,5 cm, uma novidade para a época e em cores dinâmicas, em certas ocasiões, até alterando as cores oficiais de uniformes e personagens. Esta segunda série durou 33 edições, publicadas entre maio de 1975 e janeiro de 1979. Até dezembro de 1976 na edição nº 20, a série foi mensal, passando a ser bimestral em à partir de 1977. Por apresentar uma proposta diferente da série anterior (formato e cores), a Bloch optou por reiniciar a publicação da série americana do personagem, publicando assim pouco material inédito. 




Logo depois, veio a Rio Gráfica Editora (RGE), entre 1979 e 1983, sem interrupção, a série do Aranha voltou a ser publicada, novamente em formatinho 13,5 cm x 20,5 cm, e que também optou por republicar, em cores, material previamente apresentado pela EBAL, continuando mais ou menos do mesmo ponto em que a Bloch havia parado a publicação da série. O quadrinho teve 49 edições publicadas, entre fevereiro de 1979 e janeiro de 1983, quando a RGE encerrou sua atuação com publicações da Marvel. De 1983 a 2000, foi a hora e a vez da Editora ABRIL trazer o herói e suas aventuras em sua mais duradoura série no Brasil, com 205 edições publicadas em formatinho 13,5 cm x 19 cm, o Homem-Aranha passou a ser publicado pela Abril a partir de julho de 1983. quando a editora assumiu os direitos de publicação de toda a linha Marvel no país. A série foi cancelada em julho de 2000, quando a Abril iniciou a publicação de sua linha Premium. Este título foi o segundo em maior número de edições Marvel publicadas no Brasil, logo após Capitão América, também da Editora Abril, com 214 números. em conjunto ainda, houve em formato diferente e papel jornal, também pela Abril, "A Teia do Aranha", de 1989 a 2000, um segundo título mensal do Homem-Aranha, com o objetivo de republicar a trajetória do personagem. 






Lançada em outubro de 1989, em formato magazine 20,5 cm x 27,5 cm, a revista teve rapidamente seu formato alterado para formatinho 13,5 cm x 19 cm, já a partir da edição nº 5. A partir da edição 75 janeiro de 1996, passou a publicar histórias inéditas do Homem-Aranha, funcionando como um segundo título mensal do personagem no Brasil, até seu cancelamento em julho de 2000, na edição 129. E por último a Panini com uma repaginada no herói, algo que deixarei de comentar por não se tratar de clássico, objetivo principal deste blog.





F  I  M