sábado, 14 de maio de 2016

GIBIS ANTIGOS (CLASSIC COMICS) - NICK HOLMES MAGAZINE (RIP KIRBY) Nº 23 - 1962 RIO GRÁFICA EDITORA (RGE)


NICK HOLMES (RIP KIRBY) Nº 23 - 1962 RIO GRÁFICA EDITORA (RGE) / Pertencente a King Features Syndicate, o personagem foi criado pelo desenhista Alex Raymond em 1946 com textos do editor da King Features, Ward Greene. Conta-se que a idéia do personagem foi de Greene, mas o crédito foi dado inicialmente para Raymond, para aproveitar a fama do desenhista. No Brasil, Rip Kirby ficou conhecido como o detetive particular e ex-fuzileiro naval Nick Holmes, numa tentativa de associá-lo a Sherlock Holmes, o mais famoso detetive da literatura, e Nick Carter, também muito popular. O herói é um detetive rico e boa-pinta, de gostos refinados, culto, que toca piano e dirige um sensacional Mercedes SL300, mas também, que se sente a vontade tanto num jantar da alta sociedade quanto no submundo da cidade, transitando com facilidade em ambos os mundos. Seu braço-direito é Desmond, um ex-criminoso que se regenerou e hoje é seu fiel mordomo. Sua namorada é a modelo Honey Dorian, com quem divide parceria em várias aventuras. Outros personagens com pequena e média participação: Capitão Camordy, Mãe Cassino, Toledo Steele e o gordinho Wiggers. Alex Raymond desenhou o personagem Rip Kirby logo depois que retornou da Segunda Guerra Mundial, dando continuidade a seu trabalho artístico anterior, de grande êxito: havia criado nos anos 30 personagens clássicos do gênero como Flash Gordon, Jim das Selvas e Agente Secreto X-9. A tira de quadrinhos começou a ser publicada em 4 de março de 1946 com grande sucesso e Raymond recebeu o prêmio Reuben Award em 1949. Depois da morte de Greene, as histórias passaram a ser escritas por Fred Dickenson que fez esse trabalho até meados dos anos 80. Raymond faleceu em 1956 num acidente de carro, quando fazia a tira nº 35 ("O elixir da juventude", publicada entre 30-07-56 e 20/10/56), que teve que ser concluída por John Prentice (que também foi promovido a desenhista titular da série). Depois do afastamento de Dickenson por problemas de saúde, Prentice assumiu os textos até a morte, em 1999. A tira se encerrou nesse mesmo ano, com a aposentadoria do personagem. Prentice recebeu do National Cartoonist Society o prêmio de melhor tira de história em quadrinhos dos anos de 1966, 1967 e 1986. A sua primeira aparição no Brasil foi em 1947, no "Globo Juvenil" (Tri-Semanal), onde era publicado às terças e sábados. Foi publicado pela RGE nas décadas de 1950, 60 e 70. Chegou a estrelar uma revista da editora Abril, no inicio dos anos 80, que durou dois números. A tira diária de “Nick Holmes” foi cancelada no episódio 196 (publicada entre 01/03/99 e 26/06/99). A tira diária em preto e branco, também foi publicada nos jornais brasileiros, como “O Globo” entre os anos 50 e 70. A saudosa Editora Brasil-América (EBAL), começou a publicar seus exemplares a cada quatro meses, à partir de janeiro de 1955, permanecendo até novembro de 1968 na edição nº 52, sendo que mais ou menos na metade do total das publicações, passou a ser bi-mensal.











F  I  M