sábado, 10 de outubro de 2015

GIBIS ANTIGOS (CLASSIC COMICS / EBOOK) - WILD BILL ELLIOTT Nº 10 - 1952 DELL COMICS


WILD BILL ELLIOTT Nº 10 - 1952 DELL COMICS / Este é um Caubói, cuja característica maior, era usar os dois revólveres, com os cabos virados para a frente, sacando-os de forma cruzada. Com 36 páginas coloridas, nessa época, era muito frequente, as duas, das maiores editoras (Gold Key e Dell), publicarem quadrinhos, com personagens, astros e estrelas do Cinema e da Televisão.  




Na época das matinês de Cinema, cada moleque o chamava de uma forma, Bill Elliott, Wild Bill Elliott e até mesmo Wild Bill Hickok, criando uma grande confusão a respeito do verdadeiro nome do mocinho. E essa confusão devia-se às estratégias dos estúdios para melhor fixar o nome dos heróis junto aos inúmeros fãs, e principalmente o público infanto-juvenil, seu fiel admirador. Nascido como Gordon Nance, mas com o nome artístico de Gordon Elliott ele atuou nos primeiros anos de sua carreira, até que em 1938 interpretou Wild Bill Hickok pela primeira vez no seriado “A Invasão dos Peles Vermelhas” (The Great Adventures of Wild Bill Hickok), da Columbia Pictures. 



Seus personagens então passaram a se chamar "Wild Bill Saunders" em alguns filmes e mais tarde "Wild Bill Hickok". Além disso, seu nome artístico também mudaria, passando para o mais sonoro Bill Elliott. Como Wild Bill soava bem, Bill Elliott apareceu também interpretando "Wild Bill Boone" em “A Volta de Daniel Boone” e ‘Wild Bill Tolliver’ no seriado “O Vale dos Desaparecidos” (The Valley of the Vanishing Men). Em 1942 Bill Elliott deixou crescer um bigodinho para interpretar o mexicano Joaquin Murieta  em “Vingança do Oeste” (Vengeance of the West) e nesse mesmo ano assinou contrato com a Republic Pictures, uma das maiores em temros de produção de seriados das matinês de Cinema! 



Sua estréia na Republic, ocorreu em “Tirania Sertaneja” (Calling Bill Elliott) e os cartazes o anunciavam como Wild Bill Elliott, interpretado por Bill Elliott. Depois de sete filmes vivendo nas telas "Wild Bill Elliott", o ator passou a atuar na série Red Ryder. Para muitos foi o melhor de todos "Red Ryder", vivendo a criação de Fred Harman em 16 B-Westerns, até 1946, ano em que abandonou o famoso personagem que tinha por companheiro o indio Castorzinho interpretado pelo menino Robert Blake. O personagem era "Red Ryder" mas nos créditos aparecia o nome artístico de Wild Bill Elliott. De 1946 em diante o ator não voltou mais a interpretar personagens chamados ‘Wild Bill Elliott’, pois a Republic decidiu aproveitá-lo em westerns de melhor orçamento que os de categoria “B”, que eram a especialidade do estúdio. 




Essa série de dez filmes foi toda filmada em Trucolor, o colorido desbotado da Republic. Para esses filmes o nome artístico voltou a mudar, desta vez para "William Elliott". Nova mudança ocorreria quando o ator deixou a Republic em 1950 pois voltaria a ser "Wild Bill Elliott" na série de westerns que fez para a Monogram, todos em Sepiatone, aquela tonalidade de foto antiga. A Monogram viraria Allied Artists e os novos westerns seriam estrelados pelo mesmo "Wild Bill Elliott" como por exemplo em “A Trilha da Vingança” (Kansas Territory), de 1952, em que o personagem chama-se Joe Daniels, e os posters anunciavam o ator Wild Bill Elliott. Houve uma exceção, em 1950, no filme “The Marshal of Trail City”, piloto para uma série da TV no qual Wild Bill Elliott interpretou o "Marshal Wild Bill Elliott". 



A série porém não deu certo e nenhum episódio foi filmado. Bill Elliott era um herói tão querido que teve até gibi próprio para alegria da garotada que não se contentava apenas com aquilo que via nas telas. O ator voltou ao nome artístico de Bill Elliott em seus últimos filme que não eram westerns, mas sim policiais nos quais interpretou o ‘Detetive Andy Doyle’, nos anos de 1955 a 1957. Ele foi um dos grandes mocinhos dos Faroestes "B".



F  I  M