segunda-feira, 7 de setembro de 2015

GIBIS ANTIGOS (CLASSIC COMICS) - A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL (THE INDEPENDENCE DAY OF BRAZIL) - 1975 EBAL



(07/09/1822) A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL - 1975 EBAL / Uma encadernação de luxo, e a primeira edição quadrinizada em comemoração ao Sesquicentenário da Independência do Brasil 1822-1972. Quadrinização ficou a cargo de Pedro Anísio, os desenhos de texto e créditos da capa e editor, são de Eugênio Colonnese. Também assinando “Djan”, Eugenio Antonio Colonnese foi um dos grandes mestres dos quadrinhos mundiais que desembarcaram no Brasil na segunda metade do século XX para consolidar uma tradição tipicamente nacional: as histórias de terror. Italiano de nascimento, teve uma longa passagem pela Argentina, onde publicou, em 1949, sua primeira história em quadrinhos, na revista “El Tony”. Migrou para São Paulo durante algum tempo (sua mãe era brasileira), mas logo saiu do Brasil. Em 1961 desenhou “Tide War” para a Fleetway da Inglaterra. 




Em julho de 1964, voltou definitivamente ao Brasil. Dois anos depois, desenhou sua primeira série brasileira, “O Caçador”. Mas sua criação mais famosa é a irresistível mulher vampira "Mirza", que criou em 1967 no Estúdio D-Arte para a editora Jotaesse, de José Sidekerskis. Portanto, dois anos antes da americana “Vampirella”. Com passagens também pelos livros didáticos em 1969 (editora Ática) , especializou-se quadrinhos de guerra e super-heróis ("Mylar", "Superargo", "O Gato", "X-Man", "Pele de Cobra", "Gênio"). Criou seres fantásticos a partir de seu traço inconfundível que se destaca pelo completo domínio do pincel e da narrativa em preto e branco. Nas duas últimas décadas, manteve intensa produção de quadrinhos para as revistas “Calafrio” e “Mestres do Terror”, de Rodolfo Zalla; e chegou a fazer cinco números das aventuras do herói circense “Beto Carreiro”, na década de 1980. Excepcional trabalho nesta edição em quadrinhos da nossa INDEPENDÊNCIA DO BRASIL!


F  I  M