domingo, 23 de agosto de 2015

GIBIS ANTIGOS (CLASSIC COMICS) - JONAH HEX Nº 04 / EBAL 1976 E AS 20 PRIMEIRAS CAPAS


REIS DO FAROESTE APRESENTA: JONAH HEX Nº 04 / EBAL 1976 (AS 20 PRIMEIRAS CAPAS) - NO BRASIL, A ESTRÉIA OCORREU NA PUBLICAÇÃO REIS DO FAROESTE Nº 09, EM MAIO DE 1973, E DEPOIS FOI GANHAR SUA PRÓPRIA REVISTA, NAS EDIÇÕES EM FORMATINHO À PARTIR DA EDIÇÃO Nº 04, EM OUTUBRO DE 1976, MAS DURANTE ESSE PERÍODO, SEMPRE ESTEVE PRESENTE PARTICIPANDO DE LANÇAMENTOS E PUBLICAÇÕES DO GENERO PELA EBAL. ESSA COLEÇÃO, DUROU EXATAMENTE, 52 EDIÇÕES, ATÉ 1984, PELA MESMA EDITORA. 


Jonah Woodson Hex, ou simplesmente JONAH HEX, é um pistoleiro caçador de recompensas com metade do rosto deformado, que vive no Velho Oeste. Foi o último herói de faroeste norte-americano a circular com periodicidade regular. No Brasil, a Ebal publicou quase integralmente as aventuras do personagem até aquela época. Outras editoras, como Abril, Nova Sampa e Opera Graphica publicaram também algumas de suas histórias.  Do tipo anti-herói, e devido a sua face direita ser assustadoramente deformada, isso o leva a se isolar do convívio das pessoas. Ele usa um uniforme dos soldados confederados, derrotadas na Guerra Civil Americana, o que o torna ainda um figura desagradável aos vencedores da guerra, seus conterrâneos nortistas. 

EDIÇÃO Nº 04 (CAPA DA POSTAGEM INICIAL) COM NOME PRÓPRIO "JONAH HEX", EM FORMATINHO, REIS DO FAROESTE.







Personagem dos quadrinhos de faroeste, Jonah Hex surgiu pela primeira vez,  no quadrinho americano, “All-Star Western” nº 10, em 1972, época em que o gênero já se encontrava fora de moda (pelo menos nos Estados Unidos), aqui ainda não, pelo contrário, a televisão brasileira e o cinema, exibiam séries de televisão de faroestes, e os famosos filmes "spaghetti western", de produção italiana, e com pitadas de humor entre os personagens. Jonah Hex é um implacável caçador de recompensas bom de tiro e que,  e esconde um coração justo e valente. Mas nem por isso suas histórias terminam com final feliz: geralmente ele sai perdendo, mesmo matando os bandidos. Nas suas aventuras, Hex geralmente era o único com bom senso e cabeça no lugar, enquanto que os demais personagens, cidadãos normais, xerifes e políticos eram corruptos, covardes, preconceituosos ou psicopatas. De certa forma, eram eles os deformados, e não Jonah Hex. 







A origem do herói, no entanto, só foi revelada aos leitores depois, em 1851, filho de prostituta, durante a corrida do ouro, na Califórina, o pai de Jonah, com 13 anos, Woodson, o vendeu como escravo a uma tribo de apaches, em troca de peles. Jonah acabou conseguindo sua liberdade e voltou a viver entre os brancos, só reenconrando sua tribo após a Guerra Civil (da qual participou do lado dos Confederados). Durante o reencontro, nosso herói confrontou um líder local, seu antigo rival Noh Tante. Mesmo sabotando o revólver do pistoleiro, Tante acabou morto por ele. Por quebrar as regras da luta, no entanto, Hex sofreu uma horrível punição: teve seu rosto desfigurado por uma machadinha incandescente. Desfigurado por esse chefe Apache, mais tarde ele disse que precisava p fazer isso em seu rosto, para deixar "A marca do demônio". 








Isso foi uma punição por Jonah ter quebrado a Lei Apache e usado uma arma diferente da permitida em uma luta (ele esfaqueou seu oponente, quando a lei da tribo só permitia o uso da machadinha). Segundo o chefe que o condenara a tal deformidade, isso foi feito apenas em um lado de seu rosto para mostrar a todos que o encontrassem que ele era uma pessoa dúbia, metade boa e metade perversa. Jonah Hex sempre lutou contra o alcoolismo e viajou por toda a América (inclusive Latina) e chegou até a China. Foi casado e teve um filho. Mais tarde, por acaso, salvou uma jovem matando o bandido que a molestava. Foi aí que ele percebeu que podia usar seus talentos como caçador de recompensas. 







F  I  M